Nota de Pesar pelo falecimento do presidente honorário da UIHJ Jacques Isnard



A Federação Nacional das Associações de Oficiais de Justiça Avaliadores Federais (Fenassojaf) emite Nota de Pesar pelo falecimento do presidente honorário da União Internacional de Oficiais de Justiça (UIHJ) Jacques Isnard, ocorrido nesta terça-feira (24).

Isnard foi presidente da antiga Chambre Nationale des Huissiers de Justice da França, atualmente Chambre des Comissaires de Justice, e da UIHJ.

Segundo publicação da Ordem dos Solicitadores e Agentes de Execução de Portugal, Jacques era um homem sensível, “um jurista de grande mérito”, que percorreu praticamente todos os países do mundo, defendendo as vantagens da existência de uma profissão pública ou privada, “que assegurasse que o chamamento à Justiça fosse promovido através de formas transparentes, que as decisões eram compreensíveis para o cidadão e que lhe estavam completamente assegurados os direitos à defesa, independentemente da língua ou do meio social, pugnando para que os processos de execução assegurassem os direitos de uma forma equitativa, mas que simultaneamente fossem céleres e facilmente comunicáveis entre as jurisdições de diversos países”.

Ele foi o primeiro presidente da União Internacional a estar no Brasil no ano de 1997 para o 1º Congresso Internacional de Execuções Judiciais no Mundo Global, promovido pela Assojaf/RJ e outras entidades representativas do oficialato brasileiro. Na época, a fundadora da Fenassojaf Vera Pinheiro era a presidente da Associação carioca e esteve com o Oficial de Justiça, com quem teve longa amizade desde então. 

Além disso, a UIHJ estava sob a presidência de Jacques Isnard quando a Fenassojaf decidiu pela filiação à entidade internacional durante o 7º Encontro Nacional de Oficiais de Justiça realizado em Gramado (RS) no ano de 2004. “Nesse evento esteve conosco o vice-presidente Leo Netten, que o sucedeu em 2009 na presidência da UIHJ, além do nosso querido amigo José Carlos Resende, de Portugal”, explica o presidente Neemias Ramos Freire. 

Em setembro de 2009, Neemias Freire esteve em Marselha para o Congresso da UIHJ, onde Isnard também esteve para o debate sobre a profissão dos Oficiais de Justiça no mundo. “Jacques Isnard foi o grande artífice da expansão internacional da entidade, com a adesão da representação de Oficiais de Justiça de vários países, na África, na Ásia e das Américas. Acredito que foi com ele que a UIHJ deixou de ser europeia e se tornou verdadeiramente internacional. Encontrei-o pessoalmente em 2009 no Congresso de Marselha, que marcou a sua despedida. Foi um Oficial de Justiça e um jurista de grande importância para a valorização da nossa profissão em todo o mundo”, completa.

Para o diretor de Relações Internacionais da Federação Malone Cunha, a notícia da morte do presidente honorário Jacques Isnard deixa toda a comunidade de Oficiais de Justiça abalada, “em especial por estarmos a dois dias do Conselho Permanente de 2020, que apesar de não poder ser pessoalmente este ano, pois Paris está em quarentena pela COVID-19, é sempre um momento de confraternização e união da categoria no mundo inteiro”.

A diretoria da Assojaf-MG lamenta esta grande perda para o oficialato mundial e envia condolências aos integrantes da UIHJ e da Chambre des Comissaires de Justice e para todos os familiares do dirigente.

Fonte: Fenassojaf, editado por Caroline P. Colombo